Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Alteração do Gene P.G325d como Marcador Genético da Doença de Fabry: Relato de Caso

Fundamentação/Introdução

A doença de Fabry (DF) é uma rara alteração genômica pouco conhecida e pouco divulgada e de difícil diagnóstico. A causa é uma alteração genética no cromossomo X manifesta pela diminuição da enzima α- galactosidade A, que é a responsável pelo metabolismo de glicofosfolipídeos e o acúmulo de metabólitos nas células, principalmente nas mitocôndrias, é o principal fator que gera os sinais da doença, que podem se manifestar em diversos sistemas. Acomete mais pacientes do sexo masculino, já que as pacientes do sexo feminino conseguem, em alguns casos, produzir quantidades suficientes da enzima pela decodificação do gene não mutado ou fazem o silenciamento do gene com alteração. É importante destacar dentre a comunidade acadêmica qual a fisiopatologia da doença e a manifestação clínica para obter-se melhor prognóstico para os portadores.

Objetivos

Mostrar o caso de splicing do gene GLA em paciente heterozigota e alteração no gene p.G325D e a manifestação clínica dessa alteração.

Delineamento/Métodos

Relato de caso associado à revisão bibliográfica de artigos publicados nos últimos cinco anos, extraídos do Pubmed e Scielo.

Resultados

Paciente, 41 anos, sexo feminino, esteticista, leucoderma, casada, 3 filhas. Desde a infância sentia astenia, acoparestesia, anidrose, intolerância ao frio e ao calor. Aos 13 anos de idade foi submetida à investigação para diagnóstico de reumatismo, hipótese que foi descartada, sendo então atribuído os sintomas da paciente a causas psicológicas. Aos 34 anos foi diagnóstica com insuficiência renal, proteinúria 2.224mg/24h (VR 28 a 141mg) até então sem causa aparente e tratada com Enalapril 20mg. Em consulta de rotina com oftalmologista à biomicroscopia observou-se córnea verticilata, sendo encaminhada para avaliação genética. Foi realizado sequenciamento automático por eletroforese capilar sendo encontrado no exame heterozigose a alteração p.G325D, patogênica.

Conclusões/Considerações finais

Os casos de DF são, na maioria, das vezes de difícil diagnóstico, pela multiplicidade de sistemas que podem ser acometidos. No relato apresentado, a insuficiência renal aguda (IRA) foi a primeira manifestação da doença, uma vez que os rins costumam ser os primeiros órgãos a serem afetados. Posteriormente, encontrou-se córnea verticilata, outro achado clínico característico. O estudo mostrou a importância do conhecimento das manifestações e da investigação genética na DF.

Palavras Chaves

Doença de Fabry, gene p.G325D, enzima α- galactosidade A.

Área

Clínica Médica

Instituições

Universidade Estadual de Montes Claros - Minas Gerais - Brasil

Autores

Bárbara Bispo da Silva Alves, Maria Madalena Soares Benício, Hígor Rabelo Guedes, Bruna Laryssa Xavier Ricardo, Mariano Fagundes Neto Soares


Fechar

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017