Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

A prática da automedicação em estudantes da área da saúde

Fundamentação/Introdução

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, mais de 50% de todos os medicamentos são prescritos, dispensados e comercializados de forma incorreta e mais da metade dos pacientes os usam inadequadamente. Pesquisas indicam que cerca de 35% dos medicamentos comercializados no território brasileiro são utilizados em automedicação, definida como a utilização de determinados fármacos objetivando o alívio de sinais e sintomas patológicos. A automedicação não está limitada aos leigos, mostrando-se habitualmente propagada entre graduandos e profissionais da saúde.

Objetivos

Identificar a proporção da automedicação em universitários da área da saúde matriculados em uma universidade do interior paulista; realizar um levantamento estatístico sobre a automedicação entre estudantes de três cursos da área da saúde e comparar os resultados obtidos com estudos anteriores.

Delineamento/Métodos

Estudo descritivo exploratório com abordagem quantitativa, realizado a partir de análise de campo e utilizando-se de questionário.

Resultados

Observaram-se 82,2% dos estudantes do sexo feminino, 81,9% com faixa etária entre 17 e 22 anos, 92% solteiros; 62,9% praticaram automedicação nos últimos 4 meses e 78,5% o fizeram em algum período da vida. Acadêmicos próximos da conclusão do curso apresentaram maiores níveis de automedicação: o conhecimento próprio influenciou 24,5% dos estudantes em início do curso a realizá-la e 46,8% dos estudantes no final da graduação. Cefaleia e sintomas gripais representaram 70% dos problemas de saúde que levaram à automedicação. O medicamento foi adquirido em farmácias (64,5%) e a facilidade em adquiri-lo nesses estabelecimentos foi apontada como principal motivação (66,1%). Dos voluntários que apresentaram reação adversa, 63,9% declararam realizar automedicação nos últimos 4 meses.

Conclusões/Considerações finais

A automedicação se encontra presente de forma significativa entre acadêmicos da área da saúde. Os motivos são os mais diversos, contudo, a facilidade na aquisição do medicamento aliada ao conhecimento próprio mostraram-se como os estímulos mais relevantes à prática. Fica evidente a necessidade de maior controle na aquisição de medicamentos nas farmácias, bem como a conscientização em ambiente acadêmico.

Palavras Chaves

Área

Clínica Médica

Instituições

Universidade do Oeste Paulista - Sao Paulo - Brasil

Autores

Thaís Stabile Martins, Lucas Casimiro de Oliveira, Lilian Francisco Arantes de Souza, Angelica Augusta Grigoli


Fechar

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017