Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ANÁLISE DO PERFIL CLÍNICO EPIDEMIOLÓGICO DOS PACIENTES DE UM CTI PROVENIENTES DO SERVIÇO DE TOXICOLOGIA NO ANO DE 2016

Fundamentação/Introdução

No Brasil são escassos os dados epidemiólogicos sobre intoxicações. O serviço de toxicologia do Hospital João XXIII, MG, é um dos maiores do país. O centro de terapia intensiva (CTI) desse hospital recebe os casos mais graves. Conhecer o perfil toxicológico desses pacientes pode ajudar em abordagem direcionada com melhor desfecho clínico

Objetivos

Conhecer o perfil clínico e epidemiológico dos pacientes atendidos no CTI provenientes do serviço de toxicologia do hospital João XXIII no ano de 2016

Delineamento/Métodos

Estudo observacional, descritivo e retrospectivo. Critérios de inclusão: Pacientes admitidos no CTI adulto que foram atendidos previamente pelo serviço de toxicologia do hospital João XXIII no ano de 2016. Coleta de dados no prontuário eletrônico.

Resultados

Foram atendidos presencialmente, no ano de 2016, 5938 casos no serviço de toxicologia do hospital João XXIII. Do total de casos atendidos 50 necessitaram de leito de CTI. A maior parte dos casos (54%) eram homens, 52% dos pacientes encontravam-se na faixa de 20-50 anos. A média de idade foi de 40.8 anos. Do total de casos 82% foram de tentativa de auto extermínio. Intoxicação exógena foi o responsável por 94% dos casos. Dos casos de intoxicação os principais agentes foram: 36% anticonvulsivante, 32% benzodiazepínicos, 22% antidepressivo tricíclico, 16% neurolépticos e 16% anticolinesterásicos. Cerca de 32% dos pacientes tiveram Glasgow menor que 3 na admissão hospitalar. A média de dias de internação em CTI foi de 10.5. O total de óbito no CTI foi de 24%. Dos que foram a óbito 41.6% tinham Glasgow na cena de menor ou igual a 3

Conclusões/Considerações finais

Segundo a OMS (2014), cerca de 800 mil pessoas cometem suicídio por ano. A tentativa de auto extermínio foi a grande responsável pela internação desses pacientes no CTI. Estudos demonstram que homens são mais suscetíveis ao suicídio, tentam menos, porém com métodos mais eficazes. As mulheres tentam mais freqüentemente e tem menor êxito, por visarem drogas menos tóxicas. Os dados do nosso estudo corroboram tal fato uma vez que a maioria dos pacientes que necessitaram de tratamento intensivo foram homens. Os medicamentos de uso habitual dos pacientes ou familiares foram os agentes tóxicos mais responsáveis pelos casos graves. O glasgow na cena menor ou igual a 3 pode ter tido impacto menor no óbito em CTI uma vez que algumas substâncias tem seus efeitos percebidos mais tardiamente. Conhecer o perfil dos pacientes atendidos em nosso serviço tem como propósito melhorar o atendimento inicial e desfecho clínico.

Palavras Chaves

epidemiologia, toxicologia, terapia intensiva

Área

Clínica Médica

Instituições

HOSPITAL JOÃO XXIII - Minas Gerais - Brasil

Autores

NILDANY REIS E BRITO, FREDERICO BRUZZI DE CARVALHO, LOIANNA MASCARENHAS DA FONSECA


Fechar

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM
SENIOR VILLAGE

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017