Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ANÁLISE DE INTERNAMENTOS POR CAUSAS EXTERNAS EM HOSPITAL GERAL DE CAPITAL NORDESTINA NO PERÍODO DE 2011 A 2015, O PERFIL DOS ACIDENTES E DOS PACIENTES.

Fundamentação/Introdução

As causas externas, compreendidas como os acidentes e violências, ocupam posição de destaque no perfil da mortalidade de jovens e crianças acima de um ano de idade. Constituem, assim, importante problema de saúde pública.

Objetivos

Analisar o perfil de internados por causas externas de pacientes internados num hospital geral de uma capital do nordeste brasileiro no período de 2011 a 2015, descrevendo o perfil dos acidentes e dos pacientes.

Delineamento/Métodos

Trata-se de um estudo quantitativo, observacional, longitudinal e retrospectivo, por meio de análise dos prontuários dos pacientes internados em hospital de urgência e emergência. As variáveis estudadas foram: hora e local da ocorrência, meio de locomoção até o hospital, agravo, idade, sexo, escala de coma de Glasgow, conduta, região corporal afetada e evolução.

Resultados

Foram avaliados 17189 prontuários, os acidentes de transito representaram 6313 (36,7%), quedas 3751 (21,8%), projetis de arma de fogo 2984 (17,4%), perfurações por ara branca 1276 (7,4%), queimaduras 1011 (5,9%), agressões 775 (4,5%), acidentes de trabalho 531 (3,1%), tentativas de suicídio 497 (2,9%) e afogamentos 51 (0,3%). A faixa etária mais acometida foi de 20 a 39 anos 7886 (45,9%), seguido de 40 a 59 anos 3294 (19,2%), com predominância no sexo masculino 13441 (78,2%), e feminino 3748 (21,8%), principalmente, à noite 6543 (38,1%), vespertino 4992 (29%), matutino 3434 (20%), a madrugada 2218 (12,9%). Com relação ao meio de locomoção o serviço de atendimento móvel de urgência (unidade básica), representou 5850 (34%), a unidade avançada 448 (2,6%), o carro particular 5403 (31,4%), as outras ambulâncias foram responsáveis por 4256 (24,8%) e bombeiros 1232 (7,2%). Houve presença de múltiplas lesões, 3678 (21,4%). As regiões corporais mais lesadas foram membros inferires 4728 (27,5%), cabeça e pescoço 3501 (20,4%) e membros superiores 2335 (13,6%). Com relação a escala de coma de Glasgow, a maioria dos prontuários não possuíam essa informação 7093 (41,3%) escala entre 3 e 8 apresentou 663 (3,7%), entre 9 e 12 estavam 400 (2,3) e 9063 (52,7%) entre 13 a 15. Os procedimentos cirúrgicos foram realizados em 8575 (49,9%).

Conclusões/Considerações finais

Dentro desta pesquisa, tornou-se possível fazer o levantamento de alguns aspectos relevantes sobre o perfil epidemiológico do trauma, os quais podem contribuir para subsidiar a construção de políticas para o enfrentamento do agravo.

Palavras Chaves

mortalidade, causas externas, violência

Área

Clínica Médica

Instituições

Autores

KALLEU LEONARDO ANTAO, FERNANDO HENRIQUE DE OLIVERIA SANTA MARIA, ANTONIO CARLOS DE BARROS LIMA, ALAN BLENDO BONFIM CORREIA, ILMA FERREIRA DE OLIVEIRA


Fechar

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM
SENIOR VILLAGE

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017