Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Anemia hemolítica auto-imune por anticorpos a frio

Fundamentação/Introdução

A anemia hemolítica auto-imune por anticorpos a frio é uma doença rara, mais frequente em mulheres em torno de 70 anos. As aglutininas frias patológicas são produzidas em resposta a infecção ou síndrome paraneoplásica ou ao crescimento anaplásico de único clone de linfócitos. Relatamos um caso refratário ao uso de glicocorticoides e com resposta completa ao uso de rituximabe.

Objetivos

Relatar um caso de anemia hemolítica auto-imune a frio.

Delineamento/Métodos

R.F.M., 76 anos, carpinteiro, residente no Rio de Janeiro, dá entrada na emergência em janeiro de 2017 com queixa de linfonodomegalia cervical, colúria, ictéricia, dispneia e desconforto precordial associada aos esforços iniciados há 03 dias. Sem relato de infecções prévias. Exames da admissão hospitalar com evidência de anemia aguda, aumento de bilirrubina indireta e de desidrogenase láctica além de plaquetopenia. Submetidos a tomografias com evidência de linfonodomegalias cervicais e esplenomegalia. Exames laboratoriais com teste de coombs direto negativo e piora progressiva dos níveis hematimétricos. Optado por iniciar prednisona na dose de 1mg/kg. Após 05 dias de uso, paciente mantinha queda progressiva do hematócrito e necessidades de hemotransfusões recorrentes. Biópsia de medula óssea levemente hiperplásica e sinais de hemólise. Pesquisa de hemoglobinúria paroxística noturna e fragilidade osmótica negativa. Dosagem de haptoglobina, glicose-6-fofato desidrogenase e piruvato-quinase normais. Repetido estudo imuno-hematológico eritrocitário pela hemoterapia com detecção de aglutininas a frio. Iniciou tratamento com Rituximab, em doses semanais, por 4 semanas, com melhora clínica e laboratorial. Recebeu alta para acompanhamento hematológico.

Resultados

Relato de Caso.

Conclusões/Considerações finais

A anemia hemolítica auto-imune por anticorpos a frio pode ser idiopática ou secundária. As formas secundárias podem ser de causas não malignas, como as infecções por Mycoplasma pneumoniae ou as infecções virais, ou de causas malignas, estando associadas a doenças linfoproliferativas e outras neoplasias. Os anticorpos a frio são mais reativos as temperaturas de 0 a 4 graus. Nesse grupo de pacientes as transfusões devem ser limitadas e, quando necessária, as unidades tem que ser lavadas para retirar o plasma e durante a infusão, o sangue e os pacientes devem ser aquecidos.

Palavras Chaves

Anemia hemolitica auto-imune a frio, aglutininas a frio, rituximabe

Área

Clínica Médica

Instituições

Autores

Priscila Carolina Almeida Fontes Guerra, Eduardo Guilherme Sanchez, Isabela Araújo Touma de Cerqueira Campos, Lisiana Wachholz Szeneszi, Débora Cristina Malvar das Chagas


Fechar

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM
SENIOR VILLAGE

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017