Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Carcinoma epidermóide de fossa nasal e sua rápida evolução, um relato de caso.

Fundamentação/Introdução

O carcinoma epidermóide é o tipo histológico mais frequente de tumores que atingem a cavidade e os seios paranasais. Essa neoplasia tem como importante fator de risco o tabagismo e tem seu diagnóstico normalmente tardio por apresentar sintomas inciais muito semelhantes a alguma condição inflamatória como sinusites.

Objetivos

O objetivo desse relato é apresentar um caso em que houve rápida evolução da lesão neoplásica em fossa nasal , local menos frequente de surgimento da lesão.

Delineamento/Métodos

Relato de Caso: Paciente E.A.S., 57 anos, masculino, motorista de caminhão, ex-tabagista, com histórico familiar importante de câncer, em internação no Hospital Universitário da Universidade Luterana do Brasil devido a carcinoma epidermoide de cavidade nasal. Refere que, há 2 anos, surgiu uma lesão com aspecto inflamatório, pequena e de pouca no interior da fossa nasal esquerda. Em julho de 2016 dirigiu-se ao posto de saúde e foi encaminhado ao Hospital Universitário de Canoas, onde, em outubro, realizou a primeira consulta. Em ressonância magnética dos seios da face, edema de septo nasal e lesões expansivas na cavidade nasal, medindo cerca de 3,6 x 3,3 x 2 cm. Em anatomopatológico, fragmentos de tecido cinzentos e elásticos, diagnosticando carcinoma epidermoide. Realizou 3 ciclos de quimioterapia, de novembro a janeiro, não sendo realizada radioterapia .Houve aumento significativo nas dimensões da lesão durante esse período. Aos exames físicos subsequentes, nariz edemaciado, hiperêmico, com lesão exofítica obstruindo totalmente o orifício à esquerda e parcialmente à direita. Em tomografia computadorizada de face e pescoço, após o tratamento, lesão expansiva ulcerada com densidade de partes moles, comprometendo a asa do nariz, bilateralmente, estendendo-se para a porção anterior da cavidade e septo nasal, com 5,0 x 3,7 cm .

Resultados

Após o término do tratamento quimioterápico, foi indicada cirurgia para remoção da lesão (CEC cavidade nasal ycT3ycN0M0), realizada em abril de 2017. No pós-operatório, paciente evoluiu com boa cicatrização e encaminhamento ao Serviço de Cirurgia Plástica.

Conclusões/Considerações finais

O caso apresentado traz como discussão a rápida progressão da lesão neoplásica e suas significativas dimensões. Apesar do carcinoma epidermóide ser o tipo histológico mais comum entre as neoplasias de seios paranasais, sua incidência se mostra pouco significativa em fossas nasais, justificando a relevância do relato.

Palavras Chaves

Área

Clínica Médica

Instituições

Universidade Luterana do Brasil - Rio Grande do Sul - Brasil

Autores

Antonio Campos D'almeida, Aline Bortolini, Ana Carolina Domingos, Ana Luiza Retzke, Arthur Beltrame


Fechar

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM
SENIOR VILLAGE

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017