Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

A amebíase no contexto da emergência: uma análise do perfil de internações e morbimortalidade nos estados do Brasil em 5 anos

Fundamentação/Introdução

Amebíase é uma doença causada pelo parasita Entamoeba histolytica, transmitida por meio da ingestão de água e alimentos contaminados. Frequente em países em desenvolvimento. O local mais afetado é o cólon, causando colite e disenteria, principalmente. Entretanto, pode atingir outros órgãos.

Objetivos

Analisar o perfil epidemiológico das internações e a morbimortalidade da amebíase no contexto da emergência nos estados do Brasil nos últimos 5 anos.

Delineamento/Métodos

Estudo descritivo, com dados do DATASUS, sendo analisadas as variáveis sexo, faixa etária, cor e raça, região, ano, óbitos e taxa de mortalidade nas internações em regime de emergência no Brasil no período de abril de 2012 a abril de 2017.

Resultados

Foram registrados 13.583 casos de amebíase sendo, 72,74% urgências e 27,26% eletivos. Incidiram 1.823 casos no ano de 2012; 2.375 em 2013; 2.107 em 2014; 1.603 em 2015; 1.592 em 2016; e 379 em 2017. As regiões mais prevalentes foram: Norte com 51,76%, Nordeste com 21,84% e Sudeste com 11,12%. As regiões Centro-Oeste, com 10,13% e Sul, 5,14%, obtiveram os menores índices. Os estados com maior número de ocorrências foram: Pará, 42,52%; Minas Gerais 7,46%, Goiás 6,92% e Piauí 6,55%; e os estados com menores taxas foram: Roraima 0,06%, Sergipe 0,17% e Amapá 0,20%. Os casos são mais frequentes no sexo feminino 50,16%; e a faixa etária mais acometida é entre 1-4 anos (24,41%), e entre 5-9 anos(11,15%). Indivíduos acima de 80 anos foram os menos afetados (4,84%). Quando analisado etinia: 47,77% são pardos, 13,09% brancos, 1,59% negros, 1,39 amarelos, 0,43% indígenas e 35,74% não informaram. A taxa de mortalidade total é de 0,82; sendo prevalente no sexo feminino 0,97 sendo a faixa etária acima de 80 anos a mais prevalente (6,49) e entre 1-4 anos (0,04) a menos; a cor/raça com a maior taxa é a branca (1,55) e a menor a parda (0,61). A nível regional, a Sul possui uma taxa de 1,97; a Sudeste 1,91; Nordeste 1,71; Centro-Oeste 0,70; e Norte 0,12; onde os estados do Rio de Janeiro (7,55), Sergipe(5,88) e Bahia(3,78), possuem as taxas mais elevadas, já o estado do Paraná(0,68), Goiás(0,88) e Pernambuco (1,05) as mais baixas.

Conclusões/Considerações finais

O ano de 2013 obteve o maior número de casos registrados. O Norte teve a maior incidência. Os indivíduos de cor/raça parda possuem uma elevada quantidade de ocorrências e maior número de óbitos. A faixa etária mais acometida é entre 1-9 anos, porém, há maior fatalidade e morbidade em pessoas acima de 80 anos, do sexo feminino e da etinia parda no Nordeste e Sudeste.

Palavras Chaves

"Amebíase", "Emergências" ,"Indicadores de Morbimortalidade"

Área

Clínica Médica

Instituições

ITPAC/FACULDADE PRESIDENTE ANTONIO CARLOS PORTO NACIONAL - Tocantins - Brasil, UNIVERSIDADE DE FORTALEZA - Ceara - Brasil, UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ - Ceara - Brasil, UNIVERSIDADE SEVERINO SOMBRA - Rio de Janeiro - Brasil

Autores

CAMYLLA SANTOS DE SOUZA, LÍVIA LIBERATA BARBOSA BANDEIRA, ANNA KAROLYNA NEIVA OLIVEIRA MARIANO, MARINA DE PAULO SOUSA FONTENELE, JOÃO DAVID SOUZA NETO


Fechar

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM
SENIOR VILLAGE

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017