Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ADENOMA PLEOMÓRFICO DE PARÓTIDA: RELATO DE CASO

Fundamentação/Introdução

o adenoma pleomórfico (AP) ou tumor misto das glândulas salivares apresenta padrão morfológico variável. Sua etiologia é controversa. Pode conter células epiteliais, mioepiteliais, ductais, estromas, escamosas, ceratinizantes, mixoides, fibrosas, cartilaginosas e ósseas. É benigno, de maior incidência nas glândulas salivares maiores, sendo a parótida a mais acometida. É mais prevalente em mulheres e entre a 3ª e 6ª década de vida. Caracteriza- se como um tumor único, nodular, delimitado, de consistência firme e crescimento lento e expansivo. Pode ser assintomático ou apresentar sinais e sintomas inespecíficos. Sendo diagnosticado quando ultrapassa alguns milímetros ou começa a interferir nas funções orais. O processo de transformação maligna é raro, ocorrendo em alguns casos quando não há remoção adequada do tumor.

Objetivos

o presente relato almeja alertar médicos quanto a importância da suspeição e investigação diagnóstica do AP na prática clínica diante da possibilidade de malignização do mesmo.

Delineamento/Métodos

I.C.S, 56 anos, cardiopata, gênero feminino, compareceu no consultório odontológico há 11 meses queixando-se de dor intensa em arcada dentária e protuberância em região cervical direita. Após extração dentária, há 04 meses, foi observada melhora total da dor sem involução da protuberância em região cervical, logo, a paciente foi encaminhada para clínica médica sob queixa de “caroço atrás da orelha” relatando elevação indolor a palpação, de evolução lenta e gradual e associada a prurido.

Resultados

Foi solicitada ultrassonografia (US) de região cervical, a qual demonstrou, em glândula parótida direita, imagem nodular sólida de contornos irregulares, margens definidas, hipoecogênica, com vascularização predominante central ao estudo Doppler, medindo 33x27,5 mm. Realizou-se punção aspirativa por agulha fina (PAAF), cujo laudo confirmou a hipótese diagnóstica. A paciente se encontra em bom estado geral à espera pela cirurgia.

Conclusões/Considerações finais

sabe-se que o AP, em geral, é um tumor benigno. Porém, há uma pequena chance de malignidade, fazendo-se necessário uma prática clinica atenta e detalhada para que haja suspeita, exclusão dos principais diagnósticos diferenciais, confirmação diagnóstica através de exames de imagem e da PAAF e escolha adequada do tratamento com abordagem cirúrgica de exérese total com margens de segurança e com encaminhamento do espécime cirúrgico ressecado ao patologista para diagnóstico definitivo.

Palavras Chaves

adenoma pleomórfico, glândula salivar, odontalgia.

Área

Clínica Médica

Instituições

Faculdade Atenas - Minas Gerais - Brasil

Autores

Anna Karolinne Barros de Carvalho, Maria Luísa Pinto Ramos Araújo, Poliana Carolina Santos Agostinho, Paulo Henrique de Oliveira Rabelo, Conrado Alves Pacheco


Fechar

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM
SENIOR VILLAGE

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017