Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Análise das internações e mortalidade por agressão em pacientes acima de 60 anos

Fundamentação/Introdução

O aumento no número de idosos no Brasil deve-se as transformações socioeconômicas que permitiram grandes avanços científicos que influenciaram na qualidade de vida e longevidade. Entretanto, tal fato acarretou aspectos negativos como a agressão a idosos. Tal ato, que pode ser praticado tanto verbalmente quanto fisicamente, ocorre em diversos estados brasileiros e viola os direitos e a integridade dos idosos assegurado pelo Estatuto do Idoso.

Objetivos

Analisar estatisticamente o número de internações e mortalidade por agressão em pacientes idosos, enfatizando-se as regiões do Brasil com informações mais relevantes no ano de 2015.

Delineamento/Métodos

Foi realizada pesquisa no banco de dados do DATASUS, com as variáveis: causas externas , grupo CID 10 X85-Y09 Agressões, sexo, idade acima 60 anos e região do Brasil, ano 2015

Resultados

Em 2015 ocorreram 50783 internações hospitalares no Brasil por agressão em idosos, destas 84,59% eram do sexo masculino; a região Sudeste apresentou o maior número quando comparada as demais – 37,71% do total, seguida da Nordeste, com 27,79%; região Norte 14,75%; região Sul com 10,09%, sendo a região com menos internações nesse período a região centro-oeste com 9,61% das internações. Dentro os estados brasileiros o que apresentou a maior taxa de internações hospitalares foi São Paulo com 8.716 internações e o estado menos foi Roraima por 80 casos. Ainda em 2015 dos paciente idosos vítima de agressão, 2.428 resultaram em óbitos. Desses 85,5% eram do sexo masculino, 33,5% eram da região Nordeste, a qual apresentou o maior numero de óbitos, seguida pela região Sudeste 32,2%, Sul com 14,0%, Norte 10,9% e Cetro-oeste com 9,2% (224). São Paulo também foi o estado com maior número de óbitos por agressão em idosos, representando 13,3% (324) do total de óbitos e Amapá representou o menor numero, com 0,37% (9) do total analisado.

Conclusões/Considerações finais

Pode-se observar que a população idosa do sexo masculino é a que mais sofre agressão no Brasil e também a que mais morre por este motivo. Também pode-se analisar que a região Sudeste apresentou o maior numero de internações e óbitos e que a região Centro-oeste fora a que apresentou menores números. Esses valores podem ser devido ao tamanho da população brasileira distribuída pelas áreas do Brasil, e apesar das políticas de proteção ao idoso oferecidas em nosso país, ainda observa-se um grande número de vitimas de agressão em todo território nacional.

Palavras Chaves

Idoso, Agressão, Mortalidade, Hospitalização

Área

Clínica Médica

Instituições

Hospital Messejana - Ceara - Brasil, Universidade de Fortaleza - Ceara - Brasil, Universidade Federal do Ceará - Ceara - Brasil, Universidade Luterana do Brasil - Rio Grande do Sul - Brasil, Universidade Severino Sombra - Rio de Janeiro - Brasil

Autores

Camylla Santos de Souza, Lívia Liberata Barbosa, Matheus Catunda Aguiar, Marina Magagnin Naspolini, João David de Souza Neto


Fechar

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017