Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ABSCESSO HEPÁTICO SECUNDÁRIO À SÍNDROME SUMP: RELATO DE CASO

Fundamentação/Introdução

INTRODUÇÃO: A Síndrome Sump (SS) é caracterizada pelo refluxo de conteúdo entero-biliar para o ducto biliar principal (DBP) e seu acúmulo na ampola de Vater. É descrita como uma complicação rara da coledocoduodenostomia (CDD). A CDD é realizada quando há presença de cálculos remanescentes na via biliar ou DBP dilatado durante uma colecistectomia. A ampola de Vater torna-se um potencial reservatório entre a anastomose e o DBP após uma CDD latero-lateral. A SS ocorre quando há acúmulo de debris e bile estagnada, promovendo proliferação bacteriana e predispondo o paciente a colangite, abcessos hepáticos e pancreatite. O quadro clínico cursa com dor intermitente hipocôndrio direito, febre, icterícia, náuseas e vômitos.

Objetivos

OBJETIVO: Relatar caso de Síndrome Sump em idosa atendida no Hospital Municipal Dr. Clementino Moura, localizado em São Luís - MA em 2015.

Delineamento/Métodos

DESCRIÇÃO DO CASO: M.P.N.L., 81 anos, sexo feminino, parda, viúva, aposentada, foi admitida na no setor de emergência com queixa de dor abdominal intensa associada a febre não mensurada e icterícia. Referia episódios diários de dor mesogástrica em “peso” após as refeições há 01 ano. Relatou icterícia de surgimento progressivo há aproximadamente 02 meses. A paciente foi submetida previamente à colecistectomia por colelitíase, porém não soube relatar o ano do procedimento. Após admissão procedeu-se a investigação do quadro com a solicitação de exames de imagem de emergência. A tomografia com contraste evidenciou fístula entre o intestino e vias biliares intra-hepáticas, associado a presença de gás e coleções de grande volume — sugestivas de abscessos. Suspeitou-se, então, de Síndrome Sump. A paciente evoluiu rapidamente para óbito, que precedeu a investigação laboratorial completa e o tratamento definitivo.

Resultados

DESCRIÇÃO DO CASO: M.P.N.L.

Conclusões/Considerações finais

CONCLUSÕES: Abscessos hepáticos secundários a complicações do trato biliar representam um terço dos abscessos hepáticos piogênicos, entretanto a conexão entre o abcesso e ductos biliares intra-hepáticos nem sempre é descrita. Atualmente é cada vez mais rara a ocorrência da SS pela preferência por abordagens minimamente invasivas das vias biliares. Nos casos descritos na literatura observa-se um tempo variável de surgimento dos sintomas após a CDD, variando de 18 meses a 25 anos. O diagnóstico e tratamento da SS consiste na realização da colangiopancreatografia endoscópica retrógrada (CPRE) com esfincterostomia ou “drenagem distal” com reconstrução do trato biliar por via cirúrgica.

Palavras Chaves

Área

Clínica Médica

Instituições

HOSPITAL CLEMENTINO MOURA - Maranhao - Brasil, UNIVERSIDADE CEUMA - Maranhao - Brasil

Autores

Fracisco Airton Veras Júnior, Giovanna Nunes Belo Mendes, Alexis Sousa Carlos


Fechar

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017