Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ALGORITMO DE DETECÇÃO E INTERVENÇÃO DE SEPSE GRAVE E CHOQUE SÉPTICO EM UTI

Fundamentação/Introdução

A sepse é a principal causa de morte nas unidades de terapia intensiva (UTI) e está entre as principais causas de morte nos EUA. A Fase II do Surviving Sepsis Campaign (SSC), que compila as primeiras diretrizes clínicas aceitas internacionalmente para melhorar o desfecho na sepse grave e choque séptico, foi um esforço internacional para aumentar a conscientização e melhorar os resultados acercas deste tema. De fato, o comitê acredita que, atualmente, a maior melhora nos resultados pode ser feita através da educação e mudança de processos para os que cuidam de pacientes com sepse grave.

Objetivos

O objetivo consiste em implantar um algoritmo de detecção e intervenção de sepse grave e choque séptico na UTI de Hospital Geral local, e analisar o impacto na sobrevida de pacientes críticos frente ao protocolo Surving Sepse Campaign 2012 após educação médica continuada com os médicos plantonistas.

Delineamento/Métodos

Consiste em estudo observacional tipo descritivo e qualitativo, com uma amostra composta por 20 pacientes maiores de 18 anos, estes obrigatoriamente tinham que estar em estado crítico, candidatos de cuidados intensivos e com diagnóstico estabelecido de sepse grave ou que evoluíram para choque séptico.

Resultados

Fazendo a relação dos diagnósticos (sepse/sepse grave, choque séptico) com idade e sexo obtivemos: 55% dos maiores de 80 anos se apresentaram com sepse/sepse grave e até 79 anos, 63,5% choque séptico (p= 0,653). O sexo feminino teve 58,3% de sepse/ sepse grave e os homens 75% de choque séptico (p= 0,197). Sepse/ sepse grave obtiveram em relação a variáveis clinico-laboratoriais os seguintes resultados: hipotensão 57,1%( p= 0,157), sem melhora após infusão de volume45,5%(p=1,00), diurese em até 6 horas 45,5%(p=1,00), lactato menor que 2 mmol/L 83,3%( p=0,05), frequência respiratória maior que 20 irm 47,1%9 p= 1,00), confusão mental 53,3%(p=0,319), glicemia menor que 140 mg/dl 50%(p=1,00), leucopenia 71,4%(p=0,087), e alta 71,4%(p=0,160). Já o choque séptico: sem hipotensão 83,3%( p= 0,157), melhora após infusão de volume 55,6%(p=1,00), diurese não observada em até 6 horas 55,6%(p=1,00), lactato maior que 2 mmol/L 71,4%( p=0,05), frequência respiratória menor que 20 irm 66,7 %9 p= 1,00), confusão mental 53,3%(p=0,319), glicemia menor que 140 mg/dl 50%(p=1,00), leucocitose 80 %(p=0,087), e óbito 69,2%(p=0,160).

Conclusões/Considerações finais

Nosso trabalho demonstrou que, de todos os parâmetros de gravidade analisados, apenas o lactato apresentou significado estatístico.

Palavras Chaves

Sepse. UTI. Lactato

Área

Clínica Médica

Instituições

Faculdade de Medicina Nova Esperança - Paraiba - Brasil

Autores

MARIA CLAUDIA LINS PEREIRA, CAROLINNE RIBEIRO COUTINHO MADRUGA, IGOR SOUZA PESSOA DA COSTA, LOUISE LIRA BRONZEADO CAVALCANTI, GEORGE ROBSON IBIAPINA


Fechar

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM
SENIOR VILLAGE

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017