Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

A endemia da Coinfecção HIV-Leishmaniose Visceral: relato de caso

Fundamentação/Introdução

INTRODUÇÃO: A Coinfecção HIV-Leishmaniose Visceral (LV) representa uma endemia crescente em território brasileiro, em especial no estado de Minas Gerais, constituindo ainda patologia com muitas lacunas quanto ao manejo clínico e profilático. Só no município de Governador Valadares, notificaram-se 844 casos de LV entre 2008 e 2015, dos quais 18 eram coinfectados com HIV, uma incidência 6,30 e 7,85 vezes maior em relação à esfera estadual e nacional, respectivamente.

Objetivos

OBJETIVO: Levantar discussões sobre tratamento, prognóstico e prevenção de recidivas de LV em pacientes HIV.

Delineamento/Métodos

RELATO DE CASO: Paciente masculino, 27 anos, 62 kg, 1,68 m, negro, natural e residente no município de Governador Valadares - MG, em união estável, pintor, ensino básico incompleto, apresentando quadro clínico de esplenomegalia, febre, pancitopenia e episódios de sangramento ativo. História de HIV há 7 anos sem tratamento ou acompanhamento regular e LV há 6 meses sem profilaxia secundária completa; nega outras comorbidades ou alergias. Parceira com histórico de coinfecção HIV-LV. Nega etilismo; refere uso de drogas ilícitas; tabagista. Feito diagnóstico clinico-epidemiológico de recidiva de LV com forma clínica grave.

Resultados

Submetido a tratamento intrahospitalar com anfotericina B lipossomal (250 mg IV por 5 dias) e suporte clínico. Evoluiu com melhora dos sinais e sintomas, apesar de inúmeros fatores de mau prognóstico. Alta hospitalar e contra-referência para Centro Especializado. Restabelecido tratamento antirretroviral (TARV) – Tenofovir, Lamivudina e Efavirenz - e indicado profilaxia secundária com Anfotericina B lipossomal (250 mg IV) a cada duas semanas, não realizada por abandono pós reações adversas.

Conclusões/Considerações finais

CONSIDERAÇÕES FINAIS: A infecção pelo HIV eleva a chance de um indivíduo desenvolver LV de 100 a 2.320 vezes, triplicando a taxa de letalidade, aumentando até 5 vezes as chances de recidivas e reduzindo as possibilidades terapêuticas. A gravidade das manifestações clínicas, a resposta ao tratamento, a evolução e o prognóstico estão diretamente associados à condição imunológica. No caso relatado, a não realização de controle de TCD4+, tratamento, profilaxia secundária e seguimento adequados, devido à baixa adesão e manejo incompleto, contribuíram significativamente para coinfecção, recidiva e vulnerabilidade atual do paciente. Portanto, somente a adoção de medidas para boa adesão e melhores propedêuticas são capazes de modificar a história natural da doença.

Palavras Chaves

Leishmaniose visceral Coinfecção HIV-LV Recidiva Profilaxia secundária História Natural da Doença

Área

Clínica Médica

Instituições

Autores

Douglas Vinícius Oliveira Santos, Daniela Moreira de Paiva, Natália Coelho Corrêa, Mariana Ataide Teixeira


Fechar

Promoção

SBCM

Realização

SBCM MG
ABRAMURGEM

Patrocínio Ouro

UNIFENAS

Patrocínio Prata

Unimed - BH

Patrocínio Bronze

CUREM

Apoio

IPSEMG
TAKEDA

Agência de Turismo

Belvitur

Organização

Attitude Promo

Agência Web

Sistema de Gerenciamento desenvolvido por Inteligência Web

14º Congresso Brasileiro de Clínica Médica e 4º Congresso Internacional de Medicina de Urgência de Emergência

MINASCENTRO - Belo Horizonte/MG | 04 a 06 de Outubro de 2017